Larica Carioca: um roteiro para os foodies sem frescuras - Agenda CariocaAgenda Carioca

publicidade

Larica Carioca: um roteiro para os foodies sem frescuras

12 crônicas, 12 laricas, 12 autores. A jornalista Inês Garçoni se cercou de um time de representantes da nova geração do jornalismo carioca para celebrar a gastronomia urbana, a boemia, e as receitas ordinárias capazes de fazer a nossa felicidade por alguns trocados. Seja na correria do dia a dia, ou lá pelas tantas da madrugada, todo mundo tem o seu stand-by, aquele prato ou petisco que está sempre no caminho. E são eles os homenageados do novíssimo Larica Carioca.

Não espere encontrar na lista clássicos como o biscoito Globo, picadinho, caipirinha ou feijoada. Como Inês pontua no livro, essas receitas “pagaram por sua onipresença massacrante no cotidiano da cidade”. E hoje os preços cada vez mais altos não mais garantem a irreverência que os consagrou previamente. A vez é do sacolé, do joelho, do frango marítimo – apelido das ruas para a sardinha frita -, do churrasquinho de gato, da batidinha de gengibre da Casa da Cachaça e do galeto Sat’s. Receitas que pulsam nas esquinas da cidade distribuídos em carrocinha, bar ou botequim. E o que adorei saber foi que o arroz de brócolis aparece no livro com uma crônica só para ele para ver se deixa de vez o status de mero acompanhamento.

Como forma de eternizar receitas ofuscadas pelo boom da alta gastronomia na cidade, as crônicas são uma ode à cultura urbana carioca. Petiscos em extinção nos bares cariocas como a Sambiquira – nome bonito para o cu da galinha, perdoem o palavreado -, virou poesia no texto de Caio Barbosa; e a rabada não ficou atrás graças a Manuela Oiticica. Juntam-se a eles ainda um time composto por Mariana Filgueiras, Gabriel Cavalcante – ou “Da Muda” para a turma que frequenta o Samba da Ouvidor -, Gilberto Porcidonio, Leo Aversa, Letícia Novaes, Juliana Krupp, Alice Sant’Anna, Raphael Vidal e Bruna Beber. Isso sem falar no sambista e cronista Moacyr Luz que assinta o prefácio e o samba da noite de lançamento. Põe na agenda: terça-feira, 17, às 19h no Olho da Rua. 

Lirismo à parte, rola também um mapa da mina com endereços e receitas especiais amarrados por Garçoni, encarregada de botar ordem na casa. “Os autores foram pinçando os temas, a gente foi trocando, colocando outros… As pessoas têm que escrever sobre coisas que realmente consomem, que têm a ver com a sua história”, conta. A segunda parte ela guardou para o “mapa da mina” e para a história de cada larica, com direito a muitas receitas. Ficou curioso? Clique aqui para mergulhar no mundo virtual das laricas e garantir o seu exemplar! (via MARIANA BROITMAN)
CAPA_LARICA_WEB
LARICA CARIOCA: lançamento
Terça-feira, 17 de novembro às 19h
Olho da Rua: Rua Bambina 6, Botafogo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *