Menos é mais: chefs apostam em novos formatos e opções para compartilhar - Agenda CariocaAgenda Carioca

publicidade

Menos é mais no novo Irajá: carne cruda chega dentro da tangerina

Menos é mais: chefs apostam em novos formatos e opções para compartilhar

Foi-se o tempo que uma boa experiência à mesa se limitava à escolha de uma entrada, um prato principal e uma sobremesa. Com chefs e suas cozinhas cada vez mais em evidência, comer também está mais divertido.

Quem concorda certamente reparou que uma série de restaurantes bacaninhas da cidade vem oferecendo experiências, digamos, mais interativas. As porções reduziram, os valores também, e a ideia agora é provar mais, por menos. Não visualizou? Selecionamos quatro endereços que souberam ler direitinho o desejo de seus clientes. Aí vai!

IZAKAYA STYLE

Assim os Ohara batizaram o novo cardápio do tradicional japonês Azumi, em Copacabana. “Muitos Menos é mais: Azumi investe em cardápio inspirado nos botequins japonesesclientes vem sozinhos conhecer a casa, e nem sempre estão atrás de uma refeição convencional”, explica Alissa, filha de Isao Ohara e responsável pela novidade. Para isso, importaram a fórmula clássica dos botequins japoneses. Uma seleção de 12 opções da cozinha e do sushibar ganharam versões reduzidas, que podem ser pedidas separadamente por R$ 15 cada, ou na forma de combinações com três (R$ 42), cinco (R$ 70), sete (R$ 90) ou até dez deles (R$ 135). É possível montar um circuito de sabores diversos, começando pelo “Goma Ae”, delicioso agrião cozido no óleo de gergelim, tataki de peixe do dia, tofu frito com molho de missô, chegando no delicioso “Tori kara age” – o franguinho frito com gengibre -, e no “Ika kaki age”, tempurá de de lula e cebolinha. Harumakis, sushis e gyoza também estão no menu! Rua Ministro Viveiros de Castro 127, Copacabana. Tel.: (21) 2541-4294.

AO MAR

Já contamos aqui que, em agosto, o restaurante Bazzar, em Ipanema, surpreendeu os clientes com um charmoso bar de ostras, que ganhou balcão no calçadão e um cardápio inteiro de novidades. Priorizando ingredientes da Costa fluminense, a cozinha criou uma leva de novidades em porções individuais ou para compartilhar. E a preços bastante convidativos! A moquequinha de ostra servida na própria concha sai a R$ 9, e a versão de mexilhão, a R$ 6, e até o vinho entrou na onda, com a nova opção de meia taça. As marolas do balcão, como foi batizado o capítulo dedicado ao mar, ainda trazem a vieira grelhada com abacate & baunilha ($ 19) para devorar numa mordida só, e se desdobra nas opções “no prato”, “no pote”, “na cerâmica” e “na caneca”. Neles, algas de Barra de Guaratiba, siris-açus de Niterói e peixes da costa fluminense estrelam pedidas para diferentes propostas: do peixe do dia assado inteiro para ser compartilhado, ao arroz do mar servido na caneca. Uma das sensações é o torresmo feito com a casca do peixe beijupirá, servido com iogurte e beterrabas (R$ 11). Dá para ler mais aqui!

NOVOS ARES

Conhecido por sua cozinha autoral no restaurante Irajá, em Botafogo, o chef Pedro de Artagão também pegou os clientes de surpresa. Como é costume por lá, o cardápio mudou junto com a estação, mas atento a demanda dos frequentadores – e ao desperdício crescente -, Artagão apresentou as novas receitas em versões reduzidas no tamanho e no valor, para que os clientes explorem mais opções. A cozinha inventiva, que parte sempre de ingredientes nacionais, agora se distribui por um cardápio que sugere entradas e principais para uma ou duas pessoas, e você monta o circuito de acordo com a sua fome. Fazem sucesso por lá os Churros de queijos brasileiros com ervas, o criativo Macarron de coalhada e ikurá e a clássica Carne crua, que lá ganhou apresentação irreverente: chega dentro de uma tangerina e tem toques de katsuoboshi, vide foto. Em tempo, dois clássicos voltaram ao menu – em tamanho original! -, o Arroz de Haddock e o incrível Picadinho, lançado em 2003. Rua Conde de Irajá, 109, Botafogo. Tel. (21) 2246-1395.

SERTÃO CARIOCA

Menos é mais no Kalango: sonho de macaxeira recheado com bobó de camarãoInaugurado este ano na Praça da Bandeira, o bar da chef Katia Barbosa – criadora do Aconchego Carioca -, é, sem dúvidas, um dos mais democráticos no Rio. O Kalango nasceu da parceria entre a chef, filha de paraibanos, e o cearense Emerson Pedrosa, ex-subchef de Roberta Sudbrack, que deixou a alta gastronomia para montar um cardápio onde todas as pedidas tem formato de belisquetes individuais, e variam entre R$ 10 e R$16. Lá, vegetarianos se divertem à mesa com o ceviche de banana ou o delicioso pastel de moqueca – sem peixe, obviamente. Quem não tem restrições vai gostar do mesmo pastelzinho no sabor costela e do ‘Sonho de Macaxeira’ da foto, recheado com bobó de camarão. Tudo lá tem um toque especial. A coxinha, por exemplo, tem casquinha crocante de flocos de milho, enquanto a rabanada chega à mesa com um cremoso sagu de tapioca e muito doce de leite. Em tempo, o emblemático bolinho de feijoada que fez a fama da chef também está no cardápio, e o “almoço executivo” do Kalango tem um dos melhores custo x benefício da cidade: sai a R$ 25, com direito a caldinho do dia como entrada. Rua Joaquim Palhares, 513. Tel.: (21) 2504-0088.

VEJA TAMBÉM: NOVA PÉRGULA – ARES TROPICAIS NO TRADICIONAL RESTAURANTE DO COPA

 

Mariana Broitman

Responsável por levar a Agenda Carioca para o universo digital, desde 2012 a jornalista Mariana Broitman divide com a Antonia a missão de pesquisar e experienciar o que o Rio tem de melhor. Curiosa e apaixonada pela Cidade Maravilhosa, se dedica a apresentar – e descomplicar – o que há de mais autêntico, sempre de olho em novos projetos e talentos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *