Na onda dos leites vegetais: novos produtos chegam ao mercado - Agenda CariocaAgenda Carioca

publicidade

No Banner to display

Na onda dos leites vegetais: novos produtos chegam ao mercado

Uma decisão sustentável e saborosa. Os leites vegetais vêm cada vez mais conquistando o paladar dos brasileiros. Em geral, são melhores para nossa saúde: sem lactose e ricos em gorduras insaturadas e fibras. O sabor agrada a um número maior de pessoas; afinal, são várias as opções de base: coco, amêndoas, soja e arroz são os exemplos mais comuns. Do ponto de vista sustentável, nem se fala! Além de não ter nenhum sofrimento animal envolvido no processo, pesquisadores de Oxford, por exemplo, concluíram em estudo divulgado em 2019 que a fabricação do leite de vaca gera três vezes mais emissões de gases de efeito estufa do que qualquer alternativa vegetal. Inclusive em relação ao leite de amêndoas, que foi amaldiçoado por alguns ambientalistas pela quantidade de água gasta na produção e pelo impacto no ciclo de vida das abelhas.


Alex Soderberg e Felipe Ufo criaram a Evolat

Uma questão que ainda pesa contra os leites vegetais é o preço. Enquanto o litro do leite “tradicional” custa em torno de R$ 3, o vegetal chega a custar mais de R$ 20. E essa foi uma das batalhas do casal Felipe Ufo e Alex Soderberg para lançar o NaVeia: tornar a bebida mais acessível também ao bolso. A ideia de uma empresa de laticínios plant based surgiu em 2017 e, desde então, foram vários testes para chegar em uma opção o mais gostosa e acessível possível. O preço sugerido de R$ 14,90 ainda não briga com o leite de vaca, mas já é mais em conta que a maioria das opções veganas nas prateleiras. E vamos combinar: é muito mais gostoso!

NaVeia Barista é novidade

O NaVeia que, como o nome indica, é feito com aveia (o que garante um sabor naturalmente doce à bebida), foi o primeiro produto da empresa vegana Evolat, lançado no fim de 2020. Agora, chega ao mercado mais um produto, o NaVeia Barista, uma versão mais densa para ser usada como base para uma variedade de bebidas com café.

Para promover o lançamento,  o Naveia realiza o “1º Campeonato Brasileiro de LatteArt com Deleite Vegetal” . A ideia é criar desenhos e grafismos com leite vaporizado utilizando café como “tela”. Em função da pandemia, o concurso vai rolar apenas no formato digital, e o público poderá acompanhar pelo Instagram @naveia. Ao todo, são 32 baristas participantes (de 17 cidades e 14 estados brasileiros) e o público poderá ajudar a eleger o campeão.

+ Desconstruindo o que você pensa sobre doces veganos: conheça a Conflor

O representante carioca é João Foster, que trabalhou no Curto Café, cafeteria referência na cidade (e que somos fãs!) onde, ele lembra, chegava a preparar 1.000 xícaras por dia. Barista e mestre de torras, há um ano ele toca sua própria marca de cafés especiais, a Fuzz Cafés, que faz delivery de blends especiais a preços acessíveis, além de bebidas como warmbrew, extração concentrada em temperatura controlada. Sua estreia é nesta quinta, 4, enfrentando o goiano radicado em São Paulo, Décio Mendonça.

Leites vegetais baristas são tendência

O NaVeia não é a única novidade barista no mercado. Lançado em meados de 2020, a Tal da Castanha, pioneira dos leites vegetais no Brasil, lançou sua versão em meados de 2020. Outra opção nas gôndolas é o barista da Cajueiro. A tendência vem acompanhada do crescimento do LatteArt, que transforma o café em uma obra de arte “Instagramável” e adorada pelos tik tokers.

Também feito de aveia, o Nude tem cinco variações. Além da tradicional e a barista, eles lançaram as opções com cacau, com baunilha e com cálcio.

“Toddynho” saudável

Pensando em competir com os achocolatados infantis, A Tal da Castanha acaba de lançar o Mini, uma alternativa vegana e saudável para as crianças. Uma grande vantagem está no aspecto nutricional. A bebida tem 60% menos açúcar que as tradicionais, além de apresentar boas doses de cálcio e fibras com ingredientes naturais e orgânicos. Além do chocolate, o Mini vem nos sabores baunilha, morango e maçã com banana.

+ Agenda 2030: sorvete pode ser saudável (e vegano)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *