Habemus Parklets: no lugar de carros, mini-praças - Agenda CariocaAgenda Carioca

publicidade

Habemus Parklets: no lugar de carros, mini-praças

Demorou, mas chegou. A grife Cantão se uniu a Satrápia, agência de benfeitorias destinada à melhoria da qualidade de vida em centros urbanos, para lançar o primeiro parklet da Zona Sul carioca. A iniciativa faz parte do projeto Parada Carioca – Cidades para Pessoas, apresentado pelo prefeito Eduardo Paes em abril. Em clima de festa, o primeiro parklet do Leblon foi instalado em frente à loja na Avenida Ataulfo de Paiva.

Vamos às apresentações. Parklets são espaços de lazer e convivência construídos onde antes havia vagas de estacionamento para carros. Uma minipraça sob a sombra de uma árvore, com bancos para que os passantes possam ter um momento de descanso ou diversão entre amigos. Neste em especial, será instalado o Ninho de Livro pintado pela artista Vitória Frate. O projeto é outra iniciativa da Satrápia e tem como objetivo incentivar a leitura e estimular a ocupação de espaços da cidade. Lá, cada pessoa que pegar um livro do ninho deverá deixar outro, e assim promover uma grande troca.

Para Cadu da Paz, arquiteto responsável pelo projeto, “os parkletes possibilitam uma experiência mais saudável entre a cidade e o cidadão. O objetivo é valorizar a cultura do encontro, do convívio entre as pessoas e da confraternização”, defende. Para manter o espaço sempre vivo, os parceiros planejam um calendário mensal de ativações. A primeira delas, em novembro, será o Dia do Músico, onde o espaço receberá o projeto “Palco Cantão por aí“ com a presença da cantora canadense Sophie Simmons. Além disso, o palco se manterá aberto para receber músicos de rua que queiram se apresentar.

Em tempo, aqui os parklets são chamados de Paradas Cariocas e qualquer pessoa pode apresentar uma proposta de construção à subprefeitura de sua região. Como bem definiu o Presidente do Instituto Rio Patrimônio da Humanidade, Washington Fajardo, “as Paradas Cariocas poderão abrigar bicicletários ou pequenas hortas. Também poderão servir para a apresentação de pocket shows, mas não será a extensão comercial de um bar, por exemplo. O proprietário poderá pedir para instalar mesas em frente ao seu estabelecimento, mas não terá direito de comercializar nada ali e ninguém poderá ser impedido de se sentar, não se tratará de um espaço para clientes. A prefeitura vai fiscalizar”. Além desta, a única restrição é que só podem ser construídos em ruas cuja velocidade máxima é de 50 km. Já torcendo para que a moda pegue! (via MARIANA BROITMAN) 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *