Última chamada para o verão: tratamentos de choque para dar um up no visual - Agenda CariocaAgenda Carioca

publicidade

Última chamada para o verão: tratamentos de choque para dar um up no visual

Como de costume, dezembro chega trazendo o sol e aquele arrependimento pelas horas passadas no bar, e não na academia. Dietas, massagens modeladoras, crossfit, cremes importados… de repente, todo o esforço parece em vão. Mas nem tudo está perdido.

Referência quando o assunto é rejuvenescimento, a dermatologista Patricia Ormiga conta que já se acostumou a ver o movimento disparar no último mês do ano. “Todos querem soluções rápidas para estar bem no Natal e entrar o ano bonito, não à toa, dezembro é a temporada do botox”, conta, revelando que a clínica triplica a compra da milagrosa toxina botulínica responsável por colocar tudo no lugar imediatamente. Para Patricia, no entanto, a toxina é apenas uma das etapas de uma sequência de tratamentos que almejam o rejuvenescimento harmônico e, como define, global. “Sempre digo que a beleza pode ser definida como a ‘ausência de erro’, mas como chegar nesta ausência? Diminuindo manchas, cicatrizes, rugas… Tratamos de textura, de manchas e  também do reposicionamento das estruturas“, explica. Este processo é totalmente individualizado e pode custar meses dependendo do que cada paciente busca, mas para a nossa sorte, o caminho conta com truques menos populares que o botox, mas quase tão instantâneos. A pedidos, a médica indica dois tratamentos de choque que podem ser realizados mesmo na temporada de praia e vão dar um up na sua pele. Vamos a eles? (por MARIANA BROITMAN)

Corpo: declare guerra à flacidez!

A esta altura do campeonato, eliminar celulites ou gordura localizada é missão impossível, mas ainda dá tempo de investir em uma pele mais firme. “Hoje entendemos que é mais fácil prevenir a flacidez que combatê-la, então entramos com o estímulo de colágeno cada vez mais cedo para retardar o envelhecimento da pele”, explica Patricia. Neste caso, o método sugerido para quem busca resultados rápidos é a radiofrequência, que através de correntes de alta frequência, elevam a temperatura da pele e, consequentemente, do tecido subcutâneo, com o objetivo de induzir a produção de novas fibras de colágeno.

O aquecimento gera uma contração imediata do colágeno, o famoso efeito Cinderella. “Você sai linda do consultório, mas ao passar dos dias, o colágeno vai se esticando internamento, e é necessário que você faça uma nova sessão em uma semana para manter o efeito. Seguindo assim por algum tempo, o seu corpo entende que deve produzir colágeno novo, e não só contraí-lo”, explica. A ideia é sistematizar esta produção e perpetuar o efeito imediato, e a indicação da médica é para as coxas, os culotes e para a região da barriga, já que o calor profundo acaba atingindo também as células de gordura, melhorando seu metabolismo e reduzindo seu volume – o que por tabela, atenua o aspecto da celulite. “Se você combinar este tratamento com uma drenagem linfática, por exemplo, potencializamos ainda mais o resultado”, arremata.

Rosto: adeus, manchas!

Não dá mais tempo de encarar os peelings que sua dermatologista tanto te indicou no inverno, mas há ainda solução para as manchas. E não só elas! Através de microagulhas, a dermatologista consegue combater marcas como estrias, cicatrizes de acne, rugas e até melasmas. “O microagulhamento é um tratamento extremamente versátil já que pode ser usado em qualquer parte do corpo através de um rolinho de agulhas ou com uma canetinha pontual”, explica. As microperfurações induzem uma reação inflamatória na pele, estimulando de outra forma os fibroblastos a entrarem em ação e, por fim, o processo de cicatrização resulta em uma pele nova. A técnica pode ser potencializada se aplicada como drug delivery, “entregando” determinados remédios às camadas mais profundas da pele. O procedimento pode ser feito em diferentes intensidades, e a mais adequada para o momento, claro, é a mais leve, cuja reação máxima será uma leve vermelhidão na pele, mas sem a descamação do peeling.“O furinho é tão fininho, que logo ele desaparece”, completa.

Ela ressalta ainda que pesquisas recentes revelaram que o agulhamento puro e simples é altamente eficaz, já que o processo de cicatrização quase sempre é suficiente, e resultado é percebido em poucos dias. “No primeiro dia, a pele começa a se recuperar, no segundo está melhor e a sensação é de que a cada dia está mais bonita. Três, quatro sessões no máximo – realizadas uma vez por semana – são suficientes para pele nova”. A médica entregou que o uso mais recorrente tem sido para melasmas e para estimular o crescimento de cabelos, com agulhadas feitas no couro cabeludo. Existem pouquíssimas contra-indicações, ela avisa, mas já que estamos lidando com lesões que precisarão ser minuciosamente monitoradas, alerta que o procedimento tem que ser avaliado e realizado por médicos.

Mariana Broitman

Responsável por levar a Agenda Carioca para o universo digital, desde 2012 a jornalista Mariana Broitman divide com a Antonia a missão de pesquisar e experienciar o que o Rio tem de melhor. Curiosa e apaixonada pela Cidade Maravilhosa, se dedica a apresentar – e descomplicar – o que há de mais autêntico, sempre de olho em novos projetos e talentos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *