Viagem no tempo: casal transforma fazenda da era colonial em hotel e ponto de memória histórica - Agenda CariocaAgenda Carioca

publicidade

Viagem no tempo: casal transforma fazenda da era colonial em hotel e ponto de memória histórica

No século XIX,  a Fazenda São Luiz da Boa Sorte, em Vassouras, foi palco de uma das principais produções de café na Era Colonial. Hoje, depois de anos abandonada, tendo sido inclusive saqueada, o local se renovou nas mãos da jornalista Liliane Rodriguez e do marido Nestor Rocha, que se encantou pelas riquezas ali presentes. O local foi transformado em 2018 em um destino cultural, seja para uma tarde de muito conhecimento ou um fim de semana de tranquilidade. “O que mais me atraiu na Fazenda foi a possibilidade de resgatar a memória do local”, diz a jornalista que à primeira vista achou a ideia uma verdadeira loucura.

Fazenda São Luiz da Boa Sorte era um dos principais locais produtores de café na época colonial.

Com 21 suítes renovadas com extrema atenção aos detalhes da época, criando a ideia de viagem no tempo, a Fazenda recebe o público de braços abertos com uma programação que promete fazer com que todos se sintam em casa e que “não se aborreçam com nada” nesse cantinho brasileiro que traz o passado para mais perto. Durante a estadia, o casal espera que os visitantes apenas se preocupem com o horário de ir para o stand up, andar à cavalo, passear de canoa, descansar na piscina e, claro, se deliciar não só com a bebida liberada como também com os sabores mineiros nos almoços e nos jantares – sendo estes precedidos sempre por queijos e vinhos, já inclusos no pacote. Eventos especiais como Festas Junina – fica a dica para o clima junino que já chegou – e jantares temáticos também preenchem o calendário.

A Fazenda conta com mais de 20 suítes disponíveis para hospedagem.

Junto, o casal percebeu a vocação pedagógica do espaço e, portanto, decidiram investir desde sempre em um currículo voltado para o conhecimento histórico, antes mesmo da abertura para o turismo. Como “guardiões temporários”, como Liliane gosta de dizer, os dois criaram muito mais do que um mero hotel-fazenda. Na programação, as atividades ao ar livre dividem os horários com projetos como o Museu do Café e Viagem ao tempo dos barões e escravizados, mostrando a vocação tanto turística quanto pedagógica da região que parecia apenas mais um lugar esquecido. “É um pedaço da nossa história que não nos orgulha, mas é preciso manter viva uma memória que não deve ser esquecida, de jeito nenhum. Nós devemos o nosso passado à essa legião de trabalhadores e de pessoas que se sacrificaram”, afirma.

Liliana e Nestor fizeram questão de manter e recuperar toda a história do lugar.

A ideia de unir conhecimento e divertimento deu tão certo que o trabalho feito pelos corredores da Fazenda rendeu o prêmio de Melhor Projeto de Educação do Estado do Rio no Prêmio Rodrigo Melo Franco, cedido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Desde que começou, mais de 10 mil crianças de escolas públicas passaram por ali e tiveram um dia repleto de aulas de campo, recreação e apresentações teatrais que retratam as relações entre barões e escravizados a fim de resgatar a história e culturas africanas. Outros projetos que englobam assuntos contemporâneos, como conscientização ambiental, já estão sendo desenvolvidos, ampliando ainda mais esse olhar de afeto e cultura, registrado no livro “A Fazenda São Luiz da Boa Sorte e o Ciclo do Café”, escrito por Liliana em 2013.

SERVIÇO:

Endereço: 18680 Rod. Lúcio Meira 18136, Vassouras
Telefone: (21) 96823-9954
Mais informações: https://www.fazendasaoluizdaboasorte.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *